PÁGINAS
  • 04:53
Numa parceria entre o MOC-Movimento de Organização Comunitária, Prefeitura de Retirolândia-BA e outras entidades parceiras, foi realizada na praça Zebrinha nesta cidade na última sexta-feira (25) a 5ª Feira Agroecológica e Economia Solidária do município, evento que contou com uma grande estrutura e participação de autoridades e da sociedade civil.
Barracas e Stands de vendas dos grupos de produção foram instalados no local para apresentação e venda dos produtos. Além de frutas, verduras, legumes, bejús e outros produtos desenvolvidos pela cadeia alimentar da Agricultura Familiar, o artesanato também teve seu espaço.
O Vice-Prefeito Noé Silvestre, destacou na ocasião, o empenho do Sindicato dos Trabalhadores Rurais para combater o trabalho infantil, sendo Retirolândia o primeiro municipio a contar com o  Programa de Erradicação do Trabalho Infantil no país.
Noé abordou a importância do apoio da prefeitura aos agricultores e às mulheres do campo, pedindo na ocasião ao Prefeito Vonte, o apoio para combater o sofrimento desses trabalhadores.
O Prefeito Vonte do Merim, disse na ocasião que é importante investir em favor dos produtores e comprometeu-se a garantir mais suporte à feira Agroecológica. O gestor incentivou a população a comprar os produtos da Agricultura Familiar na feira Agroecológica permanente que foi lançada por ele naquele momento e que acontecerá toda semana nessa cidade.
Para Vonte, o evento significa esperança. Ele acredita no potencial da Agricultura Familiar para a geração de emprego e renda no município para ajudar no combate às dificuldades e alavancar a economia do município. Vonte disse ainda, que apoiar esse tipo de projeto, é honrar um compromisso de campanha.
Para a Secretária de Assistência Social, Nayara Silva, a feira Agroecológica, além da geração de emprego e renda, leva qualidade à mesa das famílias.
Nayara destacou que a implantação de programas dessa natureza, gera oportunidades que combatem o assistencialismo, proporcionando a libertação daqueles que dependem da ajuda da Secretaria de Assistência Social. Além disso, disse ela, trata-se de uma política pública que fortalece como o PAA, ofertado pelo município através do CRAS e a Coopergama, com a produção de hortaliças e bejús, ocasionando um trabalho mais humanitário.
A Coordenadora Pedagógica do MOC, Maria Vandalva, disse que a feira Agroecológica, promove a união entre os poderes e a sociedade civil, unindo forças de entidades como o MOC que promovem o fomento da produção da Agricultura Familiar, fortalecendo a economia dos municípios.
Para Vandalva, um gestor público que se compromete com essa área de produção, está garantindo o desenvolvimento da comunidade com a possibilidade de gerar emprego e renda, combatendo a miséria e a pobreza e anulando o assistencialismo.
"Quando a gente respeita os direitos humanos, a gente não promove o assistencialismo, a gente promove o processo do protagonismo de produção de homens e mulheres que têm potencial, disse.
Vandalva destacou ainda o escoamento da produção da Agricultura Familiar pelo município e por cada família local.



ASCOM
Reporte-nos algum problema! Ouvidoria